Publicado por: Gustavo Fujimura | 1 de junho de 2010

A elegância do ouriço

Belo é a adequação ao uso.

“A estética, se refletirmos um pouco a sério, nada mais é do que a iniciação à Via de Adequação, uma espécie de Via do Samurai aplicada à intuição das formas autênticas. Todos nós temos implantado em nós o conhecimento do adequado. É ele que, a cada instante da existência, nos permite captar sua qualidade e, nessas raras ocasiões em que tudo é harmonia, desfrutá-la com a intensidade requerida. E não falo dessa espécie de beleza que é domínio exclusivo da Arte.”

Essa é uma das idéias defendidas pela autora do romance que eu li: “A elegância do ouriço” de Muriel Barbery. A escritora também critica a burguesia fútil, que consome tudo sem formar uma opinião própria.

Muriel nasceu no Marrocos, em Casablanca, emigrou de lá para a França, onde lecionou filosofia. De acordo com o Wikipédia, ela desde 2008 vive no Japão, informação importante já que ela fala bastante sobre a cultura japonesa no livro.

O conceito de belo adequado ao uso a gente pode expandir pra tudo, como o livro faz, desde o uso adequado das palavras e o aprendizado da gramática até os bens materiais que a gente vê em tudo quanto é lugar.

Tendo como exemplo os carros que andam por aí, podemos pensar o mesmo. Qual é o objetivo primeiro do carro: transporte. A indústria não tinha que se preocupar em fazer isso eficientemente? Pois acredito que seria um grande trunfo se, por exemplo, fossem feitos carros mais econômicos e menos poluentes.

Claro, o carro é uma máquina bem complexa e não é nada fácil fazer aproveitamento da energia armazenada no combustível em energia de movimento para o transporte. Li que apenas 6% da energia é realmente utilizada para o movimento, mas a mecânica do carro – motor a combustão interna, é mantida desde muito tempo. (Por outro lado a eficiência energética do tornozelo bate os 98%, li num artigo sobre corridas – corpo humano máquina perfeita!)

E o que a gente vê à venda são carros muito ineficientes, que tem mil e uma tecnologias, e potência, e velocidade, e o status da marca, e o luxo, e o requinte, e a exclusividade, e bancos de couro das vacas da Groelândia, e a madeira do painel de ébano da Escandinávia blablablablablablablabla, uma maquiagem que não adiciona nada ao propósito final do carro.

Sim, há algumas tecnologias que acredito ser pertinentes e aumentam a segurança pro condutor, os air-bags, os freios anti-travamento, e até um gps para aqueles que viajam muito e moram em cidades grandes.

De acordo com os conceitos que a gente vê na engenharia, uma indústria deve entregar aquilo que o cliente espera, por quanto ele deseja pagar. Ou seja, se o cliente quer status, entregue status, se o cliente deseja pagar muito mais por um sistema de navegação com tela de cristal líquido se ele mora numa cidade de 80 mil habitantes e quase não viaja, vamos vender.

Mas e se o cliente não tem a menor idéia do que ele está comprando, e se não faz nem idéia do propósito final do carro, e se ele está apenas interessado em status e fazer inveja aos vizinhos. De quem é a responsabilidade de orientar o consumidor? Do que adianta a indústria faturar em cima de um produto ineficiente esgotando os recursos da natureza? Será que apenas o dinheiro que a indústria recebe é um fator efetivamente positivo?

Acredito que a responsabilidade da educação do consumidor é dele próprio, pois cada consumidor tem a autonomia para buscar informações, ainda mais se possui recursos para fazer a escolha por um produto menos poluente, mais eficiente. É o papel dele orientar-se para se proteger contra a publicidade e indústrias oportunistas.

Mas por outro lado, deve ser um esforço da empresa também ter esse preceitos ao desenvolver um produto, pois fazendo um produto eficiente, adequado ao uso, o meio ambiente, os consumidores, todos envolvidos estarão ganhando, não apenas a empresa e somente a empresa no caso do lucro monetário. E aí, o conceito pode ser expandido para processos industriais adequados ao fim, canais de vendas adequados, etc etc etc. O fato de produzir bens de consumo eficientes, adequados ao uso, pode ser até um tema para a publicidade da empresa, o que, a priori não deveria, já que isso deveria ser objetivo das indústrias e das pessoas, buscar o belo.

E no entanto, o que a gente vê muito por aí são consumidores muito mais preocupados com imagem e status e empresas que só querem o lucro para seus acionistas. É, acho que a humanidade ainda tem que caminhar bastante, ou deveria surgir uma vontade para a mudança bem grande.

Anúncios
Publicado por: Gustavo Fujimura | 25 de novembro de 2009

“Paris não tem fim”

“Ontem voltei a revisar essa alternativa que o livro de Perec oferece entre viver em um lugar ou em muitos, entre ser sedentário ou viajante, entre ser nacionalista rançoso ou nômade de espírito:

‘Ou então enraizar-se, encontrar ou dar forma às raízes, arrancar ao espaço o lugar que será nosso, construir, plantar, apropriar-se milímetro a milímetro da própria casa; pertencer por inteiro ao nosso povoado, saber que alguém é da região de Cevennes ou de Poitou.’

‘Ou então não levar nada mais além do que se veste, não guardar nada, viver em um hotel e mudar sempre de hotel e de cidade e de país, falar, ler indiferentemente quatro ou cinco línguas; não sentir-se em casa em lugar nenhum, porém sentir-se bem quase em todos os lugares.'”

Publicado por: Gustavo Fujimura | 11 de novembro de 2009

Foto

No meio do caminho

No meio do caminho tinha uma palmeira. Tinha uma palmeira no meio do caminho

Publicado por: Gustavo Fujimura | 9 de novembro de 2009

Cloud Computing

Did you guys know that the Andrade Gutierrez, player (I don’t like much this word, seems we’re all starting to live in a Playstation world…) in the heavy construction business in Brazil is using the cloud computing so they don’t have to shift powerful computers around  the sites where they are doing roadworks, subwayworks, etc. Interesting isn’t it?

(Their cloud computing is not web open, just Gutierrez uses it.)

Publicado por: Gustavo Fujimura | 9 de novembro de 2009

En ce moment

J’écoute la station “FG DJ Radio”. Ils ont les mieux djs de la scène house music: Bob Sinclar, David Guetta, Roger Sachez, Armin Van Buuen, David Vendetta, Martin Solveig…

In my humble opinion much much better than “Rádio El Divino Jovem Pan”

Publicado por: Gustavo Fujimura | 7 de novembro de 2009

olha só que interessante

The appliances brand Brastemp really got my attention! They’ve made an advertising campaign based on mini episodes just like a TV series: even the filming format is quite like a movie. The story is about Daniel, a guy who’s around his 35 years, single, has already travelled around the world, etc etc etc, and his tired of club partying. So, instead, he starts to cook gourmet dishes for his friends at his place (of course using the line called “Gourmand Brastemp”), even though his friends try to drag him back to clubbing on saturdays.

What is so interesting about this campaign is:

1. The episodes that lasts around 2 minutes are shown in youtube and cable tv channels (the “season” will have 15 episodes, I think). Wow, a video campaign in youtube is new, they even have a “channel” there.

2. Brastemp/Daniel even has a blog where you can find all the recipes from the campaign. And the recipes are really nice.

3. I’ve watched the first episode, and altough during the 2 minutes it’ like closing up to the “Brastemp” name in all the appliances, it’s less about the features of a refrigerator and more about telling a travel history or recipe. Is Brastemp so trusted by their consumers, that they don’t need to tell how good are their products? (by the way, now after watching all first 6 mini-ads, the features are shown in a subtile way…) At least it’s more fun to watch these videos and the main idea of an ad is deconstructed: inovation.

4. The campaign is directed to young cool people (guys and girls) that “appreciates” good things and to have fun (keyword!): wine tastings, gourmet cookings, travelling abroad. Usually it’s all about the maid or housewives complaining on how difficult domestic life can be and how wonderful your day-by-day will become with a 12 kg washing machine and dryer.

http://www.youtube.com/Brastemp

Above you can find the youtube link for the campaign, you can also visit:

http://www.brastemp.com.br/bloggourmand

Congrats to Brastemp and DM9DDB ad agency!

Publicado por: Gustavo Fujimura | 7 de novembro de 2009

The ting tings

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh,

The Ting Tings will be playing at Planeta Terra Festival this weekend in São paulo and I’m not there!

Wish i could…

Lyrics: That’s not my name:

“Four letter word just to get me along
It’s a difficulty and I’m biting on my tongue and I
I keep stalling, keeping me together
People around gotta find something to say now

Holding back, everyday the same
Don’t wanna be a loner
Listen to me, oh no
I never say anything at all
But with nothing to consider they forget my name
ame .. ame .. ame

They call me hell
They call me Stacey
They call me her
They call me Jane
That’s not my name
That’s not my name
That’s not my name
That’s not my name

They call me quiet girl
But I’m a riot
Mary-jo , lisa
Always the same
That’s not my name
That’s not my name
That’s not my name
That’s not my name

I miss the catch if they through me the ball
I’m the last kid standing up against the wall
Keep up, falling, these heels they keep me boring
Getting glammed up and sitting on the fence now

So alone all the time at night
Lock myself away
Listen to me, I’m not
Although I’m dressed up, out and all with
Everything considered they forget my name
ame .. ame .. ame

They call me hell
They call me Stacey
They call me her
They call me Jane
That’s not my name
That’s not my name
That’s not my name
That’s not my name

They call me quiet girl
But I’m a riot
Mary-Jo , Lisa
Always the same
That’s not my name
That’s not my name
That’s not my name
That’s not my name

Are you calling me darling?
Are you calling me bird?
Are you calling me darling?
Are you calling me bird?”

Publicado por: Gustavo Fujimura | 7 de novembro de 2009

Violin

This music from David Garrett speaks for itself, amazing, I love it!

Music from the Album Encore

Publicado por: Gustavo Fujimura | 7 de novembro de 2009

Concurso foto celular

Guys,

to participando de um concurso de fotos tirada por celulares. Funciona assim, você se cadastra e pode enviar até 5 fotos tiradas com celular, os ganhadores do concurso terão a oportunidade de expor suas fotos junto com Cristian Caselli ( um fotógrafo que se especializou em fotos with cell phones) no CENTRO CULTURAL DA JUSTIÇA ELEITORAL!

participem: http://www.foto-celular.com

 

logo

Publicado por: Gustavo Fujimura | 7 de novembro de 2009

Global Warming

With all these discussions about global warming due to the event copenhagen 15 I keep wondering myself: wouldn’t it be a solution to invest more in video-conference technologies for lowering the concentration of CO2 gas in the atmosphere, since transportation is a big issue for the subject? At least companies would reduce their carbon emissions.

As for people, I think the key is to reduce consumption of electrical energy, fuels (fossil or non fossil), to increase the use of solar energy, to recycle: well the idea is knowledge, you’ve got to think global and remember that every action will affect nature or the environment. This may sound as a cliche, but think about all the packages you’ve trown away in the past 10 years, do you think they have disappeared or something? Not at all, hheheh.

« Newer Posts - Older Posts »

Categorias